A apresentação da campanha “O Silêncio tem Voz” decorreu no dia catorze de junho, na Escola Sede do AEMC, com a presença do Presidente da Comissão Proteção ao Idoso,  Associação Regional do Norte, das autoridades locais – CM de Braga, PSP,  GNR, bem como o ER Cónego Eduardo Duque, em representação de SER Arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga.
A campanha de sensibilização contra a violência sobre as pessoas idosas decorrerá nas escolas, envolvendo professores e alunos.
A CPI  é uma associação que se dedica à defesa e promoção dos direitos das pessoas idosas, desde 2013.

DIA MUNDIAL da DANÇA

No Dia Mundial da Dança, 29 de abril, alunos, professores, assistentes operacionais e assistentes técnicos juntaram-se e comemoraram a efeméride com entusiasmo, ao som do tema musical “Jerusalema”, de Master KG. A atividade foi organizada e promovida pela secção de Educação Física e pelo projeto do Desporto Escolar e desenvolvida em articulação com o projeto Eco-Escolas.
Num ambiente festivo, os alunos distinguidos com prémios de mérito académico, artístico e de cidadania, bem como as turmas que se evidenciaram pelo seu comportamento e participação nas atividades da escola, “Turmas Cinco Estrelas”, nos anos letivos de 2018-2019 e 2019-2020, foram agraciados com os seus diplomas e medalhas. Parabéns a todos!

O SILÊNCIO TEM VOZ

Silêncio tem Voz é uma campanha de sensibilização contra a violência sobre as pessoas idosas. Irá decorrer nas escolas, envolvendo professores e alunos. É uma iniciativa organizada pela Comissão de Proteção ao Idoso, Associação Regional do Norte.
O Silêncio tem Voz decorrerá no dia 14 de junho, pelas 10h00, na Escola Sede do Agrupamento de Escolas Mosteiro e Cávado, com a presença do Presidente da CPI, das autoridades locais, em representação da Câmara Municipal, PSP, GNR, bem como o Sr. Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga, representado por Cónego Eduardo Duque.

Nota de Imprensa – CM Braga

A Arqueologia na sala de aula: uma experiência pedagógica

No âmbito de um dos projetos de intervenção pedagógica supervisionada, os professores estagiários da disciplina de História, Emanuel Barros, Francisco Pereira e Sérgio Olival, em conjunto com a professora orientadora da Universidade do Minho, Marília Gago, e a professora cooperante, Maria da Luz Sampaio, desenvolveram uma atividade arqueológica com os estudantes de sétimo ano, da turma D.
Esta atividade consistiu na análise de diversas fontes arqueológicas. Anteriormente, foram recolhidas as ideias prévias dos estudantes sobre o Império Romano através da moldagem de gesso, onde os mesmos foram desafiados a moldar o objeto que melhor identificasse os romanos e, na parte final desta tarefa, teriam de o pintar da cor que associavam à temática. Os objetos mais comuns foram armaduras, capacetes e espadas, pintados de vermelhos, castanho e cinzento.
Cada grupo trabalhou um artefacto associado a um dos monumentos de Bracara Augusta, havendo seis disponíveis, entre eles uma urna com moedas do barqueiro, uma ponta de espada, uma fíbula e um prego associado à necrópole da Via XVII; uma máscara do teatro romano associado ao teatro do Alto da Cividade; uma ânfora com um roteiro das principais cidades do Império Romano associada à fonte do Ídolo; um aribalo romano associado às termas com óleos essenciais; umas moedas do Imperador Constantino II associadas ao fórum romano; e, por fim, duas lucernas, associadas à Domus das Carvalheiras.
As tarefas e os desafios propostos a todos os estudantes tiveram o intuito de os colocar no papel de um verdadeiro arqueólogo, resultando numa experiência com um feedback bastante positivo por parte de toda a turma.

ECO-ESCOLAS

“O mar começa aqui”
O projeto “O mar começa aqui” tem como principal objetivo educar para uma cidadania ativa incitando os jovens a passar a mensagem de que “Tudo o que cai no chão, vai parar ao mar” a toda a comunidade educativa. As escolas foram desafiadas a criar uma imagem, validada pelo município e que será pintada em sarjetas ou sumidouros de águas pluviais, dentro da escola e na sua envolvência.
Na nossa escola, o projeto envolveu, no total, 73 alunos, do 7º, 8º e principalmente do 6.º ano, na disciplina de Educação Visual, sob orientação da professora Sara Ribeiro.
A atividade de elaboração do desenho desenvolveu-se em três fases, a primeira ainda no ensino não presencial e as restantes no ensino presencial. A exploração de recursos educativos, em particular a consulta do site do Eco-Escolas e vídeos sobre o ciclo da água e espécies marinhas potenciaram a motivação, sensibilização e desenvolvimento de aprendizagens dos alunos.
Todos os alunos envolvidos revelaram grande interesse e empenho e aderiram com muita criatividade e dedicação, desenvolvendo várias competências do Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória.
No final, os trabalhos foram apreciados segundo os critérios definidos e, depois de selecionados quatro desenhos, estes foram sujeitos a votação pela comunidade educativa, para ser selecionado um para o concurso previsto. Desta votação ficou em primeiro ligar o desenho que contou com mais votos (142) da autoria da aluna Inês Ferreira, do 6.ºC.
As pinturas nas sarjetas serão realizadas durante a Semana Eco-Cávado (4 a 9 de junho), em quatro locais, sendo dois deles na escola (interior e exterior) e os outros dois em duas freguesias. Nessa semana comemora-se o Dia Mundial do Ambiente (dia 5 de junho) e o Dia Mundial dos Oceanos (8 de junho).
Organização: Conselho Eco-Escolas, em parceria com a CMB, Presidentes de Juntas de Freguesia e Diretora do AEMC.

ENSINO da MÚSICA

Informa-se que a lista dos alunos inscritos no 1.º ano (1.º ciclo) no curso de  Iniciação à Música (ano letivo 2021-2022) se encontra afixada na EB Mosteiro e Cávado, junto aos Serviços Administrativos.